XTerra Ilhabela – The North Face 18k noturnos

Essa prova foi no sábado, dia 24/09/11. A semana inteira fez um putz sol, mas no fim de semana… chuva!

O pior foi o vento e o frio que vieram juntos. A corrida seria em Ilhabela, em montanha, até Castelhanos, então, com certeza, muita lama nos aguardava. E foi isso mesmo o que rolou. Ou melhor, nós rolamos na lama.

Mas nada foi ruim. Pelo contrário. Desde a chegada na ilha, a travessia de balsa, a pousada, a entrega do kit… e claro, a corrida.

A prova foi dividida em três categorias e três horários diferentes de largada: 9 km (19 horas), 18 km (a nossa, às 18:15 horas) e os 50 km, às 16 horas.

Além das provas de corrida, ainda teve um triathlon, o swim challenge e a kids running. A Ilha era só esportes, diversão e saúde.

Nossa largada foi tranquila, e no começo da prova corremos ao lado do amigo, Paulinho, e ele do lado de um amigo dele. Eles logo começaram a se distanciar e nós mantivemos o ritmo. Eu acabei parando no km2 para esconder um cinto de hidratação perto de uma árvore (o que vai render mais 4 km no fim da prova, vocês vão ver) pois estava me incomodando muito. Corri mais forte e alcancei a Glau e seguimos até o fim, sem mais paradas. No meio do caminho, já na mata fechada, “achamos” uma outra atleta que até tinha pensado em desistir. Estava muito escuro, e ela estava assustada. Mas tudo deu certo e seguimos os três.

O som da cachoeira, a poucos passos e a escuridão, realmente poderiam assustar qualquer um. Mas a sinalização era bem feita, bem demarcada. Meu erro foi confiar na lanterninha do kit, que era fraca. O Paulinho me emprestou uma, já que eu havia deixado a minha no hotel.

Depois de muita lama, riachos escorregões, chegou a hora de voltar e fizemos o trajeto na boa. Ainda no km 15, a hidrataçnao era farta: água isotônico, maçãs e barra de proteína. Não dava para reclamar de nada. Naquela altura, aquilo tudo era um banquete.

A chegada foi demais. Em areia fofa, a praia estava iluminada pelas luzes das tendas e do pórtico. Ai foi só alegria: medalha na mão, mais isotônico e fomos ver a festa dos campeões no pódio. Aproveitamos e demos mais uma volta nas tendas dos parceiros do XTerra. Estavam vendendo excelentes produtos lá, na areia mesmo. Muito boa foi essa prova e muito bom foi o evento.

Já ia me esquecendo. As história das  garrafinha de hidratação que deixei pelo caminho.

Pois bem. Depois de cruzar a linha de chegada, enrolar bastante na arena e começar a passar frio, resolvemos ir embora. Mas, e cade a chave do carro?

Lembram do cinto né. Pois é. Lá estava a chave.

Voltamos todo o trecho que é o caminho da pousada que estávamos. Na mesma rua. Peguei a chave (estava tão bem escondida que eu até demorei para achar) e voltamos na caminhada. Total de 22 km com chuva na cabeça. Bom para esfriar hehehe.

Essa prova, com certeza voltaremos ano que vem. E se der, alguns outros XTerra.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s